Sobre:

Sofia e Otto é uma série de quadrinhos que aborda o cotidiano de uma família moderna de maneira crítica e divertida. Cada indivíduo expressa sua personalidade de uma maneira não convencional, refletindo sobre os diversos temas abordados.

 

No ar desde julho de 2017 os quadrinhos da série já tocaram em assuntos como o racismo, machismo, consumismo e, é claro, o universo infantil onde os personagens se encontram.

Os quadrinhos já foram publicados em diversos livros didáticos e em breve a série ganhará a sua segunda publicação impressa mostrando todas as tirinhas produzidas até então. Atualmente a série possui 65 mil seguidores no Facebook e 50 mil no Instagram.

Em setembro de  2018 a série foi adaptada para uma linguagem mais lúdica e ganhou o seu primeiro livro infantil destinado às crianças: Sofia e Otto Conhecendo Porto Alegre.

Criado por Pedro Leite.

CLIQUE AQUI e acesse o Catálogo Escolar.

A adaptação para crianças:

Após 1 ano de produção de quadrinhos, a série foi adaptada para uma linguagem mais lúdica. O primeiro livro infantil da série é destinado para crianças à partir de 8 anos de idade e mostra a família em um divertido passeio em Porto Alegre, cidade onde o autor Pedro Leite nasceu.

 

Sofia e Otto Conhecendo Porto Alegre é uma publicação ideal para adultos e crianças que queiram conhecer um pouquinho melhor a história da capital gaúcha.

Clique aqui para conferir mais detalhes sobre o livro.

O autor:

Pedro Leite é cartunista, ilustrador, publicitário e o autor da série Sofia e Otto. Tem outros três livros publicados: Quadrinhos Ácidos, Onde Meu Gato Senta e Tirinhas do Zodíaco, séries que possuem mais de 550 mil seguidores nas redes sociais.

 

Com seus quadrinhos o autor ganhou os prêmios Troféu HQ Mix (Melhor Web Quadrinho de 2016) e Troféu Angelo Agostini (Melhor Fanzine de 2013).

 

Pedro é gaúcho de Porto Alegre e hoje em dia é considerado um dos maiores desenhistas do Brasil, chegando a ter mais de dois metros de altura.

 

Site do autor: www.pedroleite.com.br

© 2019 Sofia e Otto - por Pedro Leite